As palavras, em seus sons, estão aqui em processo, se transformando, como esse texto, incompleto, que um dia terminarei. O papel virtual de minhas realidades, sendo escrito enquanto logo, meus dados, na máquina, na rede de rendas digitais. Nas ladainhas, aboios e encantamentos, sentimentos ou/e em outros infindos indícios analógicos, que sim, ainda existem! E resistem, a qualquer falsa ou equivocada idéia de modernidade ou tecnologia. Tome cuidado com os meus acentos.
Eles podem brincar de mudar seus sentidos.
Estamos subentendidos?

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Cuando una rosa simboliza el perdón

Seus olhos escondiam a verdade
Seu sorriso
A assimetria de suas maçãs em relação a inclinação ao nariz
A distancia dos ombros à vértice de sua cabeça e cabelos
A luz que invadia a sala refletida pelo seu gracioso corpo e trajes de ensaio, era opaca...
Imagino que ela percebera
O cheiro de minha incredubilidade por todo o meu corpo.
Todo o seu corpo pendia num fingimento
Talvez ela fizesse aquilo
Pra nos livrar de algo que dentro de um paixão
Doesse mais do que devesse
E quiséssemos ou pudéssemos suportar.
E como mulher
Ela percebeu tudo
E guiou a vida pelo caminho mais certo de sua natureza
Carregando os fardos
Os segredos da existência
Na eternidade de seu ventre

Virgem Maria!

Acordamos

Ela arrumou-se
Num infinito momento perante minha presença
Não falou nada...
Apenas pensou claramente pra que eu sentisse

E em silêncio ela disse:

-Faço questão de deixar contigo metade de minha alma
Porque agora tenho metade da tua em meu peito
Não falaremos nada pra não ficarmos sem jeito
E porque sei que minha paciência te acalma.

E partiu...
Sem sorrir ou chorar.

Pra nos consagrar
Em outro momento
Em outro lugar
Onde ela escolhera
Parir o futuro.

E seu desejo foi um pedido
Nunca seria uma ordem.

-Como num passe de mágicas
Eu estendi minhas mãos
E nas linhas do meu destino
Ela se viu majestosa
E nos poupei de falar essa prosa
Pois sei que ela entendeu de coração
Que quando um poeta presenteia uma rosa
É porque ele sofre sem palavras
Sem canção ou poesia pra dizer, perdão.
Postar um comentário