As palavras, em seus sons, estão aqui em processo, se transformando, como esse texto, incompleto, que um dia terminarei. O papel virtual de minhas realidades, sendo escrito enquanto logo, meus dados, na máquina, na rede de rendas digitais. Nas ladainhas, aboios e encantamentos, sentimentos ou/e em outros infindos indícios analógicos, que sim, ainda existem! E resistem, a qualquer falsa ou equivocada idéia de modernidade ou tecnologia. Tome cuidado com os meus acentos.
Eles podem brincar de mudar seus sentidos.
Estamos subentendidos?

terça-feira, 23 de agosto de 2016

A pequena Esperança

Veio pra nos ensinar
A pequena Esperança
De que tudo vai melhorar 
Nosso amor foi assim,
Tão simples e difícil como perdoar

Quando a paixão toma o rumo
Do sentimento que emana
Tudo pode desandar
E até o mais sincero amor se engana

Poderia ter sido tudo mais simples
Tudo tão fácil, mas, não foi
Foi o que tinha de ser
E tanto crescemos
Não há o que se arrepender

Pois a vida nos colocou
Uma pequena Esperança 
E o que antes não havia solução
Hoje entendemos
Essas loucuras que inventa 
O coração
As erradas certezas que sente
A razão

Tão simples e difícil
Como educar uma criança  
Nosso amor foi assim
Aprender a perdoar
Com Esperança
Postar um comentário