As palavras, em seus sons, estão aqui em processo, se transformando, como esse texto, incompleto, que um dia terminarei. O papel virtual de minhas realidades, sendo escrito enquanto logo, meus dados, na máquina, na rede de rendas digitais. Nas ladainhas, aboios e encantamentos, sentimentos ou/e em outros infindos indícios analógicos, que sim, ainda existem! E resistem, a qualquer falsa ou equivocada idéia de modernidade ou tecnologia. Tome cuidado com os meus acentos.
Eles podem brincar de mudar seus sentidos.
Estamos subentendidos?

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Rock'n roll

Quebrem as amarras
Gritem!
Chorem!
Liberem a emoções
As tenções
Libertem-se
Dos gêneros
Dos preconceitos

O melhor discurso até agora 
Ainda é o "paz e amor"
Sãos e salvos, loucos ou não
Façam a revolução
Sonhem
Protestem
Toquem, dancem, cantem
Interpretem com toda a alma
Façam música com o coração
Como quando éramos adolescentes
Sem se preocupar
Com o que vão falar
Sigam seus instintos
Mas não deixem dominar-se
Assim logo eles evoluirão
Para a intuição

Mude o mundo
Antes que o mundo mude você
Mude o mundo
E lembre-se disso quando envelhecer
Postar um comentário