As palavras, em seus sons, estão aqui em processo, se transformando, como esse texto, incompleto, que um dia terminarei. O papel virtual de minhas realidades, sendo escrito enquanto logo, meus dados, na máquina, na rede de rendas digitais. Nas ladainhas, aboios e encantamentos, sentimentos ou/e em outros infindos indícios analógicos, que sim, ainda existem! E resistem, a qualquer falsa ou equivocada idéia de modernidade ou tecnologia. Tome cuidado com os meus acentos.
Eles podem brincar de mudar seus sentidos.
Estamos subentendidos?

quarta-feira, 6 de junho de 2007

Inspiração

Será que existe uma musa minha?! Quem é?! Ela é perfeita?!!! Nossa!
Quanto pano pra manga, papel pra escrever, tinta pra pintar, barro pra
moldar… Lagrimas pra ser. É necessário ser tão poeta enquanto sonhamos
com um mundo perfeito?! Existe espaço pra gente na realidade?! Tudo se
mistura, e é nesse delicado fio que discerne a realidade do sonho, onde
encontramos morada para o inevitável futuro. Destino?! (risos) Enquanto
isso eu rezo, me concentro e luto pra que tudo seja possível. Talvez eu
mereça ao menos ter uma alma pra que meu amor seja eterno.
Postar um comentário